Liderar em tempos de crise

A postura do líder pode ser o ponto chave para o sucesso de um plano de contingência

30/03/2020

A equipe é reflexo do líder. Quantas vezes você já leu ou escutou algo parecido? Se existe algo importante sobre os clichês é o fato de que eles representaram uma verdade coletiva, em algum momento. Liderar é influenciar e a história prova que em tempos de crise está afirmativa faz ainda mais sentido.

As guerras, eventos naturais e epidemias se cruzam em um ponto importante: a incerteza. Lidar com o imprevisível pode ser apavorante para algumas pessoas e é neste ponto que “um bom exemplo” e sangue frio para planejar ações a longo prazo podem fazer toda a diferença – no mundo coorporativo e fora dele. Mas o que isso significa na prática?

Honestidade e transparência

Sua equipe precisa se sentir segura ao seu lado e é ideal que você possa confiar em cada membro dela. Este alinhamento é imprescindível para que todos façam sua parte rumo a estabilização do negócio. O time deve trabalhar orientado ao bem-estar coletivo, compartilhando informações sobre os obstáculos e promovendo esforços para encontrar soluções.

Vale ressaltar que esperar uma crise chegar para assumir esta postura pode não ser eficaz. A confiança é um laço fortalecido dia a dia e que geralmente leva algum tempo para se consolidar.

Controle emocional na administração da crise

 Como citamos acima, toda crise vem acompanhada de medo – em função do fator causador da instabilidade ou de seus reflexos. Os contextos sociais e econômicos são diretamente afetados e normalmente acabamos em momentos de “histeria” coletiva.

Quando o líder consegue manter a serenidade, parte da ansiedade da equipe se dissipa abrindo espaço para um ambiente mais saudável para tomadas de decisão. Esta é uma tarefa difícil e configura uma das competências que geralmente justifica um posto de liderança.

*Isso não quer dizer que o líder não possa ter fragilidades e receios, a diferença é a forma como ele age diante destes sentimentos. O autoconhecimento é uma ferramenta essencial no controle das emoções.

Coerência

 É importante que o líder alinhe a equipe em momentos de crise, para que todos emitam a mesma mensagem e para que esta mensagem esteja em conformidade com a identidade da empresa – e com a realidade.

A pressão social geralmente leva grandes empresas a seguirem um fluxo de ações impulsivas que, muitas vezes, soam “falsas”, incoerentes ou oportunistas para o público.

Protagonismo

 Momentos extremos exigem que o líder agregue tarefas nunca executadas ou que volte a realizar atividades que normalmente seriam responsabilidade de seus subordinados.

Este tipo de liderança desperta a proatividade da equipe, inspirando-a a fazer o que for necessário para alcançar melhor resultado coletivo.

Comunicação

 Considerando as incertezas de um período de turbulência, o líder deve garantir um fluxo de informações contínuas, claras e confiáveis. Cada um deve saber o seu papel na cadeia de comunicação, que vai da diretoria aos níveis iniciais da hierarquia.

Este alinhamento proporciona segurança e sensação de estabilidade não somente para o time. O Cliente final se mantém fiel a empresas com discursos e processos perfeitamente alinhados e transparentes. Esta fidelidade é essencial para a retomada dos negócios após a recessão.

Visão à longo prazo – além da crise

 Todas as crises têm fim, mas algumas empresas podem não sobreviver se se atrapalharem durante o ápice da tensão. O líder deve guiar o planejamento da gestão de crise considerando medidas emergenciais (à curto prazo) e estratégias de recuperação (médio e longo prazo).

É importante priorizar o equilíbrio e manter processos estruturais ativos, mesmo com as novas e urgentes demandas. Uma liderança com a capacidade de manter a ‘visão macro’ da situação neste cenário garante que o negócio sobreviva e volte a prosperar.

Saiba que a crise pessoal é inevitável 

 Não podemos nos esquecer de que os líderes têm muitas responsabilidades e são capacitados para administrá-las, entretanto, não deixam de ser seres humanos.

Reconheça suas fragilidades, discuta os problemas com outras lideranças e com a equipe. Alguns dias serão mais fáceis do que outros e o importante é manter o foco na sobrevivência do negócio e na superação do período de instabilidade.

Notícias sobre

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *